Buscar
  • Dr. Ítalo Maciel

Roncar excessivamente pode afetar o coração





Os distúrbios respiratórios relacionados ao sono são muito comuns, mas nem sempre diagnosticados ou tratados adequadamente.


A Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) é uma entidade clínica muito frequente na população e suas consequências envolvem sonolência excessiva e risco de acidentes de trabalho e de trânsito, além de déficits cognitivos e doenças cardiovasculares.


No adulto, a SAOS é caracterizada por episódios repetidos de obstrução (completa ou parcial) da via aérea durante o sono. Esses eventos, frequentemente, resultam em redução na concentração de oxigênio no sangue e despertares noturnos que prejudicam a qualidade do sono.

Os sintomas mais comuns são o cansaço ao acordar, sensação de sono não reparador (independentemente de quanto tempo a pessoa dormiu!), sonolência excessiva durante o dia e piora na qualidade de vida. O companheiro de quarto relata roncos, episódios de engasgo ou parada respiratória, além de movimentos frequentes que interrompem o sono.


Os fatores predisponentes são:


  • obesidade;

  • sexo masculino;

  • anormalidades craniofaciais;

  • obstrução nasal;

  • história familiar.

O que muita gente não sabe é que o fato de roncar demasiadamente durante o sono pode afetar o coração, causando principalmente Hipertensão Arterial, muitas vezes em pessoas jovens, sendo esse um motivo comum de visita ao cardiologista.


Os problemas mais comuns causados pela SAOS são:


  • hipertensão arterial;

  • hipertensão pulmonar;

  • arritmias cardíacas;

  • angina noturna;

  • refluxo gastroesofágico;

  • prejuízo na cognição

  • prejuízo na qualidade de vida;

  • insônia.


A SAOS é muito comum entre os indivíduos com Hipertensão Arterial. Até 50% dos indivíduos hipertensos podem ter algum grau de apneia do sono! Nesses pacientes, a hipertensão costuma ser mais resistente e difícil de tratar, sendo muitas vezes necessários vários medicamentos diferentes para obter o controle da pressão arterial.


É muito importante diagnosticar e tratar a SAOS corretamente para evitar as complicações citadas acima.


O diagnóstico é confirmado por polissonografia ou poligrafia residencial, pelo achado de 5 ou mais episódios de apneia e/ou hipopneia por hora de sono. Esse exame deve ser solicitado pelo médico na suspeita de SAOS. No caso da polissonografia, o paciente precisa dormir no laboratório ou clínica que realiza o exames. Já no caso da poligrafia residencial, o exame é realizado na própria casa do paciente.


Perder peso é uma das medidas de maior impacto na melhora da apneia do sono. O emagrecimento não apenas melhora os sintomas da SAOS com também leva a uma melhora global, melhor controle da hipertensão arterial, melhora a resistência à insulina e o perfil de colesterol.


Porém, muitas vezes, é necessário lançar mão do uso de aparelhos que promovam pressão positiva contínua nas vias aéreas durante o sono, conhecidos como CPAP. Existem alguns modelos no mercado. O paciente pode alugar em lojas apropriadas para saber o que melhor se adapta à sua face e à sua forma de dormir, antes de decidir qual modelo vai adquirir.



O uso do CPAP melhora substancialmente a qualidade do sono, a hipertensão arterial e os demais problemas causados pela apneia.


Existem alguns procedimentos invasivos que podem ser indicados para melhorar os sintomas de apneia. Nesses casos, é necessário consultar um otorrinolaringologista para saber se há indicação de cirurgia.


Se você gostou do que leu e acha que esse artigo pode ajudar outras pessoas, curta e compartilhe em suas redes sociais.

217 visualizações0 comentário
 

©2018 by Dr. Ítalo Maciel